Mercedes, Volkswagen e BMW alertam para falta de chips até 2023

2021-09-09 A falta de semicondutores em todo o mundo está a afetar a chegada de novos veículos ao mercado e a situação só deverá estar totalmente resolvida a partir de 2023. A previsão é dos líderes das gigantes automóveis Mercedes, Volkswagen e BMW no Salão Automóvel de Munique.
"A Internet das Coisas está a crescer e o aumento da capacidade leva tempo. Provavelmente será apertado nos próximos meses e anos", avançou o CEO do grupo Volkswagen. Com a utilização crescente da tecnologia no setor, a procura de semicondutores tem disparado, mas as marcas estão a passar por dificuldades na aquisição do material em quantidades suficientes, estimando que as dificuldades se mantenham, ainda que a escassez seja agora menos severa.
O CEO da Daimler, dona da Mercedes, Ola Källenius, apontou que "vários fornecedores de chips têm referido problemas estruturais com a procura", podendo a situação influenciar ainda os mercados em 2022, começando a resolver-se a partir de 2023".
Também o CEO do grupo Volkswagen, Herbert Diess, admitiu que a escassez vai continuar nos próximos meses, uma vez que os semicondutores têm tido uma elevada procura. Já Luca de Meo, CEO da francesa Renault, refere que a falta de chips foi mais difícil de gerir o trimestre atual do que se perspetivava. Ainda assim, estima que último trimestre do ano poderá apresentar algumas melhoras, apesar das fracas perspetivas dos seus concorrentes.
Perante a falta de chips, as fabricantes tiveram de realizar grandes cortes nas suas produções em 2021, bem como colocar várias fábricas no mundo em lay-off.

Defendendo que primeiro é preciso consolidar as redes existentes


Relatório da Cisco sobre segurança mostra crescimento de 48%


Para alargar operação ao promissor mercado do social commerce


Considerando que a Europa é muito importante


Mantendo este nome apenas para a rede social


Para apoiar organizações dos setores público e privado