NOS acaba com subscrições de serviços Wap Billing

2020-01-14 A NOS anunciou ter posto um fim às novas ativações de serviços Wap Billing, reconhecendo que esta alternativa, que permitia pagar com o saldo, foi usado por terceiros em fraudes que lesaram os seus clientes. Esta era uma opção que motivava muitas queixas e que era muitas vezes ativada pelos utilizadores sem estes se aperceberem.

Em comunicado, o operador diz que a partir de hoje deixa de permitir a utilização do saldo ou da fatura para novas ativações de serviços do tipo Wap Billing, medida que visa reforçar a proteção dos seus clientes e a transparência nos serviços prestados.

Este serviço permite aos clientes de telecomunicações que tenham um telemóvel “efetuar pagamentos de serviços e conteúdos digitais disponibilizados por terceiros, através de páginas na internet. Os clientes podem subscrever serviços ou conteúdos de vídeo, jogos, wallpapers, astrologia, conteúdos para adultos, entre outros, utilizando nessa transação o seu saldo ou fatura”.

Apesar de ter sido criado “para dar mais comodidade aos utilizadores no momento de pagar um serviço digital”, a NOS reconhece que acabou por se transformar numa técnica muito usada em fraudes online. “Este serviço esteve na base de episódios de fraude, realizada por entidades terceiras que lesaram clientes Nos, ainda que o operador tenha reagido sempre na desativação das subscrições fraudulentas e na devolução dos valores cobrados indevidamente aos seus clientes”, refere o comunicado.

O operador mantém, no entanto, as adesões que já tinham sido feitas anteriormente, partindo do pressuposto que esses clientes estão satisfeitos com o serviço. “À data, a NOS considera que existem conteúdos de igual ou melhor qualidade disponíveis através de outros canais, como as lojas de aplicações, que possibilitam ao cliente um maior controlo de custos e uma melhor experiência de subscrição e utilização”, acrescenta-se.

“A NOS tomou a opção estratégica de impedir a subscrição deste tipo de serviços muitas vezes promovidos de forma intrusiva que, frequentemente, levam a adesões pouco esclarecidas. A NOS congratula-se de ser o primeiro operador em Portugal e um dos pioneiros a nível mundial a dar este passo voluntário, em prol da segurança e proteção dos seus clientes, acabando assim com um relevante motivo de insatisfação e de elevado número de reclamações”, refere Luís Nascimento, administrador da NOS.
 
 

2020-02-21 | Atualidade Nacional

No âmbito da sua estratégia de marca única


2020-02-21 | Atualidade Nacional

Empresa está otimista “apesar da injustificada e desadequada hostilidade regulatória”


Tecnológica acelera contratações em 2020


2020-02-18 | Breves do Sector

No âmbito dos Salesforce Lightning Bolt Commerce Cloud Partner Trailblazer Awards for B2C


2020-02-18 | Breves do Sector

Para mostrar a sua transversalidade